Arquivos do Autor

Enxoval de Bebê – Parte 3

patricia lavratti florianopolis bebes

Higiene do bebê – A Banheira

Hoje começamos com as dicas do que envolve a higiene do bebê. E começamos pelo banho, que é um grande desafio. Primeiro pela fragilidade, segundo pelo excesso de regras e mitos que escutamos. A escolha certa é uma banheira que se adapta a necessidade do banho e as particularidades que envolvem este processo, como espaço, segurança, mobilidade e gosto de quem vai cuidar da criança. Então vamos falar sobre uma aquisição super importante para a futura mãe: a banheira! 

Que tipo de banheira comprar? Aqui é preciso entender qual é aquela que se adapta melhor à sua necessidade. A primeira coisa que você vai avaliar antes da compra é onde ela irá ficar. Cantinho especial para dar o banhinho no seu amor. Lembrando que é item que usará diariamente e deve ser prático para você. Depois disso, avalie vantagens e desvantagens dos MODELOS DE BANHEIRAS que você irá encontrar, e aqui vai uma ajudinha:

Banheira de plástico: a básica
Como elas normalmente não têm saída de água, são um pouco mais complicadas para encher e esvaziar. banheira
Algumas pessoas optam por deixá-las no chão pela segurança, mas acaba sendo muito desconfortável para os pais. É uma opção m
ais barata, ideal para ficar em outros locais onde o bebê costuma frequentar, como a casa dos avós, por exemplo. Se adotar esta opção, o importante é que precisa estar bem apoiada em um suporte e em local seguro.

Banheira de plástico com suporte separado
Esta banheira tem a mangueira para esvaziar e encaixa em um suporte com banheira-sem-trocadorpés. 
Como fica mais alta, não é preciso ficar se abaixando e, consequentemente, não causa dores na coluna. Pode ser colocada dentro do box do banheiro, por exemplo, ou em qualquer outro lugar da casa.banheira-sem-trocador1 
** É importante checar se o suporte encaixa direitinho para não ter problema de cair durante o banho.
(Nas imagens há o suporte para sabonete-shampoo-toalha e o assento)

Banheira com suporte e trocador acoplado

banheira-com-trocadorHá controvérsias sobre ser ou não uma vantagem o fato de você poder dar o banho e trocar o bebê no mesmo lugar. Algumas mães que usaram este tipo de banheira gostam pois quando fechada mantém a água quentinha até buscar o bebê e trocam o bebê no mesmo ambiente não tendo troca de temperatura.  Outras mães acham que o trocador atrapalha, porque é um pouco pesado e você tem que abrir e fechar ao mesmo tempo que segura o bebê. Se acha que seria o seu caso, se tiver uma cômoda, por exemplo, é mais viável usá-lo como a base do trocador, não havendo a necessidade de trocador acoplado na banheira.

Banheira Inflávelbanheira-inflavel

As banheiras infláveis são perfeitas para viagens e também servem para deixar em lugares que se frequenta seguido como a casa dos avós, casa de praia. Há muitas opcões no mercado, e entre elas os modelos famosinhos como o pato da marca Munchkin, modelos maiores da Tiny tots e as quadradas da Disney.

Banheiras Dobráveis

Uma nova opção para viagens, e por serem mais elaboradas, têm sido adotadas também para o uso diário. São dobráveis, compactas e com assento. Há tipos com fofinho inflável e tipos 
anatômicas que vem com o assento antiderrapante.
dobravel   banh-dobr3                                           banh-dobr     banh-dobr2

Ofurô
A novidade dos últimos tempos, o banhinho no balde. É uma sessão de relaxamento para os bebês, uma vez que ofurorecria o ambiente do útero materno. A mãe pode optar por ser o método do banho de higiene, mas a mãe também pode optar por dar o banho de higiene na banheira tradicional e destinar o ofurô apenas para ocasiões em que o bebê esteja mais agitado, com cólicas, chorando. Este método vindo da Holanda, tem sido adotado até em maternidades.
O importante aqui é adquirir o balde adequado para este fim, com bordas largas e deve ser para uso exclusivo para o banho do bebê. Além disso deve ser confortável para os pais. É um método barato e que não ocupa muito espaço.

Acessórios: Assento, Rede de proteção, Saboneteira
Nas banheiras tradicionais é bom observar se há o assento. O assento redutor é  útil principalmente para recém-nascidos. Ele diminui a profundidade da banheira e deixa o bebê um pouco inclinado. Há assentos emborrachados para que o bebê não fique escorregando durante o banho. A redinha tem a mesma função. É uma pequena rede que tem ganchos universais para se ajustar a vários formatos de banheira. Outro acessório que pode ajudar caso não haja na banheira é a saboneteira com lugar para shampoo e toalha.
assento                        redinha                            saboneteira

A escolha certa é muito pessoal que deve ser considerado o estilo de vida de cada família, assim como o espaço disponível. Entre muitas opções, inclusive banheiras chiques com hidromassagem para bebês!, conhecemos a maioria delas. Pense na segurança em primeiro lugar e  no conforto para esta tarefa no dia a dia e você vai ter sucesso na escolha 😉

No próximo post veremos sobre o que realmente comprar do kit higiene e cuidados do bebê. 
Um abraço!
Patricia Lavratti

fonte: depoimentos de mães e especialistas na área da saúde/ imagens da internet

Enxoval de Bebê – Parte 2

enxoval, bebe, quartinho, berço

Depois de já termos nos familiarizado com a ideia geral do enxoval de bebê no post Parte I, aqui vamos falar da prioridade inicial: Arrumar o quartinho do bebê. Após a notícia da gravidez a vontade é mesmo de sair comprando tudo. Para aqueles que podem,  é gostoso, mas com frequência os pais exageram, adquirem o que não é útil, compram coisas lindas mas inapropriadas para os bebês, seguem listas de lojas mais preocupadas no comércio do que na real necessidade do cliente. Para aqueles com o orçamento mais apertado diante de listas gigantescas (chamadas de “básicas”) é fácil ficar tonto e com muitas dúvidas.

enxoval bebeEntão para começar a planejar e comprar o quartinho do bebê, o que você precisa saber é que o mais importante na escolha é se certificar sobre a segurança destes itens para o ambiente. Entre tantas opções de móveis, kits de berço e decoração, há itens que são desnecessários, desaprovados por especialistas e ainda proibidos pelo Inmetro. Assim, é de extrema importância ter certeza que tudo estará apropriado para o seu bebê.

a)Berço:
A  escolha do berço é a mais importante e delicada. Só pra citar rapidamente o porquê desta importância, os bebês que dormem mais confortáveis, dormem melhor e por mais tempo (e consequentemente você e sua família também irão dormir melhor).  Uma boa noite de sono não somente afetará no humor de todos, mas é essencial para desenvolvimento físico e mental do nenê. É delicado por se tratar também da segurança do bebê. Neste ano o Inmetro proibiu os berços com grades laterais móveis (grades que sobem e descem) devido relatos de acidentes e o risco de sufocação. Assim, algumas dicas para facilitar nesta tarefa:

  • Entre os modelos de berços, você irá encontrar berço com rodinhas que facilita a limpeza e troca de lugar (duas rodinhas devem ter travamento!); berços funcionais com armários e gavetas acopladas que são práticos pois geralmente as mães conseguem guardar todos os itens do bebê e são  perfeitos para pequenos espaços; berço que vira cama (inovadores!) que tem super vantagens como a economia de tempo e dinheiro na hora da troca do bercinho pela cama e facilita (e muito!) a transição do bebê, pois já está acostumado com o berço; berços com trocadores acoplados (não agradam muito, deixo a dica); berços desmontáveis que facilitam em viagens mas pecam no conforto do bebê; berços com sistemas anti-refluxo, entre outros.
    Diante de tantas opções, você certamente estará considerando o espaço que tem disponível e o valor que quer gastar. Na escolha é imprescindível checar se há o selo do Inmetro (que assegura medidas e especificações em prol da segurança do bebê) e se a peça vem com manual de instalação em português e instruções claras de como montá-la. Considere também o que será melhor para você mamãe e o bebê.
  • Se o berço não vir com colchão, este deve acoplar-se às laterais do berço de modo que fique bem justo, sem brechas, pois o bebê pode ficar preso e sofrer asfixia.
  • Cuidado com berços antigos, sem as seguranças atuais e com tintas tóxicas.
  • Se forem dois ou mais bebês os pediatras auxiliam a não deixar os bebês juntos pois podem se enrolar um no outro e ocorrer acidentes. É necessário um berço para cada bebê.

**Na disposição dos móveis, o berço deve ser posicionado longe de janelas, cortinas, fios, luminárias, enfeites de paredes, qualquer item que possa servir de apoio.

b) O resto dos móveis:

É comum vermos quartos completos, mas na verdade o que você realmente irá precisar além do berço é um móvel para guardar as roupinhas, o trocador e uma poltrona de amamentação (se tiver espaço). As cômodas guardam as roupinhas e servem de trocador. Se você optar por um berço com gavetas, não precisará da cômoda para guardar as roupinhas, podendo optar por uma banheira com trocador anexado. Se pensar no uso a longo prazo, o roupeiro terá utilidade. É de você avaliar, conforme o seu estilo de vida, o espaço e seu bolso. Escolha bem a poltrona de amamentação, pois o seu corpo e suas costas irão agradecer. Uma mesinha com um abajur do lado será bem útil.

Assim, quartos completos, cama ou sofá-cama para a babá são opcionais. Assim como itens de decoração como enfeite de porta, móbile de berço (com o cuidado de bem instalado e não ficar ao alcance do bêbe), mosquiteiro (lembrando que devido o acúmulo de pó pode dar alergias no bebê), quadros, tapetes, aquecedores/desumidificadores. Pesquise a real necessidade e utilidade.

c) Itens complementares

Para finalizar,  minha dica é adicionar na lista de compras e/ou na lista de presentes do chá do bebê estes itens complementares do quartinho:

-Almofada de amamentação;
-Cesto de roupa suja;
-Uma lixeira;
-02 protetores à prova d’agua de colchão;
-04 lençóis para berço com elástico;
-saco de dormir (e não cobertas/edredons)
-Kit higiene (veja as dicas no nosso próximo post!)

***Kit Berço: item de grande polêmica. São lindos, mas os especialistas defendem que itens dentro do berço como almofadas, travesseiros, bichinhos, etc. não é seguro pelo risco de sufocação e risco de queda do berço após o bebê escalar com ajuda destes volumes. Então não use. O mesmo vale para os protetores acolchoados nas grades do berço que muitos pais adotam com medo que o bebê prenda o braço ou pé. As especificações e medidas Inmetro dos berços são justamente pra que isso não aconteça.  Estes kits não deixam circular ar, são caros, volumosos e não recomendados. Edredons e cobertores também têm sido itens não recomendados, pelo mesmo risco. O ideal é  sacos de dormir.

Cada família e cada bebê terão as suas particularidades, então acredito que o segredo é pesquisar e sempre usar o bom-senso. Evitará o gasto de dinheiro à toa, a frustração de escolher itens inadequados e o acúmulo de tranqueiras sem utilidade no seu lar.
Um enxoval bem enxuto e útil, prático para você e apropriado para o seu bebê é o que você precisa. E tudo isso sendo muito fofo, lindo e especial. Cada coisa escolhida com cuidado e muito amor especialmente para o novo membro da família.

Um abraço e até o próximo post!
Deixe seu comentário e se tiver dicas, compartilhe!
Patricia Lavratti

Enxoval de Bebê – Parte 1

enxoval, bebe, dicas, lista, foto, florianopolis

Chegou a hora de montar o enxoval do bebê e você não sabe nem por onde começar? A lista é grande mesmo, vamos dar dicas neste e nos próximos posts, começando pelas roupinhas que a gente tanto ama 🙂  Para as mães de primeira viagem tudo começa quando se vêem perdidas no desconhecido “mundo baby”  sem sequer saber o que é “cueiro”,  “mijão” , “culote”, dá até um desespero com o novo idioma! Depois se sentem mais perdidas ainda entre peças, tamanhos e quantidades. Sem falar nas inúmeras opções mais do que fofas nas lojas e pra ajudar a infinidade de lojas online cada vez mais populares. Diante desse dilema, a grande e primeira dica é : OPTAR SEMPRE PELO MAIS PRÁTICO E MAIS CONFORTÁVEL PARA O BEBÊ.
enxoval, bebe, dicas, lista, foto, florianopolisA segunda coisa é você ter em mente que não precisará exagerar nas quantidades, pois o seu bebê vai crescer muito rápido. Então, aqui vai algumas dicas que vão te ajudar muito a iniciar a lista do enxoval do seu bebê:

Inverno ou verão? Primeiramente, você irá se planejar conforme a sua região e a estação do ano que o seu bebê vai chegar. A partir daí saberá se precisará de roupas mais frescas ou roupas mais quentes ou um enxoval meio a meio caso ele chegue em um final de verão por exemplo.

Melhores tecidos? Os melhores são de fibras naturais, como malhas feitas com 100% de algodão. Ao contrário dos tecidos sintéticos, que impedem a respiração da pele, malhas de algodão são mais leves, confortáveis e, como permitem que a pele respire, evitam irritações e alergias. O pima cotton também serve, é um algodão peruano muito macio, encontrado nos EUA. Para peças com o tecido mais grosso, o mais comum é o plush. Cuidado com as mantas e casaquinhos de lã, pois soltam pelos, podendo atingir os olhos ou ser aspirados, possibilitando irritações. Prefira materiais antialérgicos.

As roupinhas confeccionadas com outros tecidos como alguns modelos de vestidinhos, reserve apenas para ocasiões especiais. São lindos, mas geralmente desconfortáveis para o bebê. Observe também o acabamento das costuras, bordados e apliques que podem incomodar e causar alergias e irritações na pele do bebê.

Entendendo as Peças de Roupas 🙂
Especialmente para as mamães de primeira viagem bem-vindas ao guarda-roupa baby!

a)Macacões: Peças coringas assim com os bodies. Tenha só alguns macacões “para sair”, e tenha vários para ficar em casa, mais simplezinhos, que podem ser usados até como pijama. Esses vão ser os mais usados, e você vai lavá-los a toda hora! Macacões com pezinho fechado são mais quentinhos, mas macacões sem pé servem por mais tempo no bebê. E prefira os macacões com botões na frente ou laterais, pois os transpassados arregassam facilmente.
b)Bodies e camisetas: Os bodies nada mais são do que camisetas presas embaixo com a facilidade do botões para a troca da fralda. Os bodies e camisetas são ótimos para colocar embaixo de macacões para agasalhar o peito do bebê e também funcionam bem embaixo de jardineiras. Os bodies tem a grande vantagem de não ficarem “subindo” conforme você segura a criança no colo. É bom ter ambos.
c)Mijões / Culotes: Mijão é a calça com pezinho. Culote é a calça normal sem pé. Versáteis,  podem  ser usados em dias frescos ou por baixo do macacão em dias mais frios, como pijamas e possibilita que você  troque somente a parte de baixo caso suje. Há culotes com “pé dobrável” que permite o aproveitamento da peça por mais tempo, é uma boa forma de economia.
d)Meias: Super bem vindas, uma vez que o bebê não usa sapato. Meias de lã não use diretamente na pele, use por cima de outra meia ou por cima do mijão.
e)Casaquinhos (2 peças é suficiente): presença obrigatória no enxoval, facilitam pois não passam pela cabecinha do bebê e os deixam mais aquecidos. NUNCA com cordão e cheque os botões para não ter o risco do bebê engolir. De moletom ou linha e de cores mais neutras são os preferidos.
f) Mantas (2 peças): Essenciais, desde o dia que o bebê sai da maternidade! Não servem somente para aquecer o bebê, mas para manter o bebê com a sensação de proteção e acalmá-los. Adoram ficar enroladinhos. Tenha uma manta mais levinha e outra mais quentinha.
g)Cueiros:É um pano que pode ser flanelado (mais grosso e mais quente) ou de algodão que é mais grosso que fralda e mais fino que a manta. Ele serve para absolutamente TUDO! Servem para enrolar o bebê e ficar entre a manta, forrar o carrinho ou cadeirinha, cobrir o bebê na rua (sempre supervisionado por você), proteger de um eventual vento, colocar no ombro para não se sujar nas golfadas, usar como base na troca de fralda, enfim, são muito úteis!
h)Fraldas e paninhos de bocas: Quanto mais, melhor!Não é mito! Especialmente nos primeiros meses, usa-se muito, troca-se a cada minuto, a rotatividade é infinita. Quantidade acima de qualidade, pode comprar os mais simples e baratinhos porque super atendem à função.
i) Luvas, gorro no frio e chapéu para o sol: Se conseguir encontrar peças que prendem debaixo do queixo, melhor, assim eles não vão parar no chão toda hora. Luvas de bebês não têm a separação dos dedos para facilitar a colocação, e além de agasalhar quando está frio, servem ainda para impedir que o bebê fique se arranhando no rosto com a própria unha. (motivo de muitas acordadas noturnas!)

Modelos e tamanhos:
-Há quem diga que não é necessário comprar o tamanho RN, mas é sim! O bebê não usará muito tempo, mas geralmente até o primeiro mês usará. A melhor dica é não compre muito, mas tenha RN. Para os primeiros 3 meses adquira tamanho RN e P.  A quantidade de 5 no tamanho RN de cada peça básica e 6 a 8 peças no tamanho P. Aconselharia a não comprar somente se na gestação a  sua médica avisá-la que seu bebê será um bebezão, maior do que o esperado.
-A peça que o bebê mais usa é o body  e o que NÃO usa são sapatos! São lindinhos e enlouquecedores, mas a verdade é que o recém-nascido não usa sapatos e médicos não recomendam para o bebês até começarem a andar. Uma boa alternativa são as meias que imitam sapatinhos.
-Outra dica importante e que ajuda na escolha feliz é observar alguns detalhes nos modelos de roupas não só pela praticidade, mas também pelo conforto do bebê: Evite botões com casa, prefira botões de pressão ou velcro, pois facilita quando a troca de roupa tem que ser rápida; Opte pelas aberturas na frente, nos ombros ou laterais ao invés delas nas costas, pois ganchos, zíperes, botões nas costas incomodam os pequenos que passam a maior parte do tempo deitados; Modelos que não passam pela cabeça são mais fáceis de vestir no bebê; As calças com pés tem a vantagem de não ficarem subindo e deixando o bebê sempre quentinho.

Nos posts seguintes você saberá sobre os outros itens do enxoval como o kit maternidade, higiene, acessórios, berço, etc. A lista é grande, há mitos e verdades do que se realmente usa, dicas são sempre bem vindas.  E por fim, para quem procura economizar:
-Priorize, você iniciará comprando o indispensável: os móveis do quarto do bebê;
-Existem milhares de opções criativas e baratas para a decoração;
-Aceite presentes dos familiares que querem participar, afinal de contas também estão felizes com a chegada do novo membro da família;
-Faça o chá de bebê com a lista de presentes e só depois adquira o que realmente falta. A lista do chá facilita para você e também para os convidados. (clique aqui para dicas de como organizar o chá )
-Nas roupinhas não pague por etiqueta;
-Reaproveite e troque peças com amigas que também têm filhos. É uma forma bonita de reciclar e colaborar com o meio ambiente.

Se você gostou deixe seu comentário e se tiver alguma dica compartilhe conosco!
Um abraço com cheirinho de nenê e até o próximo post!
Patricia Lavratti – fotógrafa especializada em bebês recém-nascidos

*Fonte: experiências de mães, artigos de pediatras e sites de saúde.


 

Dica de Filmes sobre Bebês

movie, bebe, filme, born, maternidade

Assisti a dois documentários imperdíveis sobre bebês e venho deixar a dica, assistam!
O Filme de 2016 “O Começo da Vida” nos conta sobre a capacidade surpreendente de aprendizado dos bebês, sobre a importância de escutarmos as nossas crianças, e traz principalmente uma reflexão sobre a maternidade, do seu papel e sua importância. O filme é uma conversa nos fazendo questionar se estamos cuidando bem dos primeiros anos de vida dos nossos bebês, que definem tanto o presente quanto o futuro da humanidade. É um convite para agirmos em prol de uma mudança na sociedade.

secret life of babies O outro filme que me encantou é o “Secret Life of Babies” (2014). Tem imagens absolutamente encantadoras e fala sobre como é o universo dos bebês, o modo como experimentam o mundo, as suas habilidades natas de compreensão, de sobrevivência e de aprendizado sobre a vida e de si mesmos. Como são os seus sentidos e como interagem com o mundo. É simplesmente lindo!

“Quando olhamos aqueles olhos grandes, lábios e narizes pequenos, mesmo com testas grandes, os exames comprovam que parte afetiva do nosso cérebro se iluminam…e o nosso coração se derrete!”  🙂

Realmente, não temos como resistir a doçura que é um bebê!

Fica aqui a dica, especialmente para os pais e mães, não tenho dúvida que iram gostar e passar a saber muito mais sobre os seus filhos! E vão se derreter! 🙂

Com carinho,
Patricia Lavratti
Fotógrafa de família especializada em recém-nascidos

**As imagens neste post são do próprio filme

Porque os bebês choram?

porque bebe chora newborn foto

Dicas para as mães por Patricia Lavratti

porque bebe chora newborn foto

O que acontece com os bebês que choram sem parar? É comum os pais se verem com a incógnita e não saberem o que fazer com o seu bebê chorando… Nessas horas, antes de tudo, muita calma! 🙂
Bem, é importante sabermos que os bebês quando estavam no útero na barriga da mãe, estavam quentinhos, em uma posição confortável, bem apertadinhos e se sentindo seguros. Quando nascem e chegam no ambiente externo tudo muda. Perdeu aquele contato de meses com a mãe, são mudanças de temperatura, sons, luzes, e isso tudo gera ansiedade e insegurança no ser tão pequeninho.

A outra coisa que temos que estar cientes é que a forma que o bebê tem para se comunicar é através do choro. Por isso nunca deixe o bebê chorando. Se ele chora é porque necessita de alguma coisa. Mas como saber o que o bebê precisa? O choro pode significar muitas coisas, como suas necessidades básicas  (fome, calor, frio, xixi, coco,…), desconfortos (como roupas apertadas, cólica, gases, …), insegurança, excesso ou falta de barulho, ou ainda pode ser sinal que o bebê não está bem de saúde, podendo ser sinal de uma dorzinha de ouvido, por exemplo.

Diante de muitas possibilidades, a grande dica é seguir uma check-list dos motivos possíveis para entender as causas do choro do bebê e conseguir atendê-lo:
da Shantala que você pode fazer para aliviar as cólicas e gases, há almofadinhas térmicas de sementes seguras para bebês, o velho banho quentinho com chá de camomila, o novo banhinho de balde (ofurô),… Enfim, há algumas opções mais naturais, mas cada caso tem a sua intensidade e o que vai funcionar melhor para o seu bebê.

Estes são os motivos mais comuns, então se o bebê chora é fundamental ir descartando item por item do check list. Com certeza isso ajudará você e com o tempo aprenderá a identificar mais facilmente o que seu bebê está pedindo. Se mesmo assim o seu bebê ainda chorar muito, você deve partir para um diagnóstico médico. Mas o mais importante é saber que nos primeiros meses de vida há a tendência dos bebês chorarem bastante, pois é a forma de comunicação deles, e aqui fora tudo é novo para eles. E na grande maioria das vezes o que o bebê quer é o contato físico, bastando colocá-lo no peito do pai ou da mãe, dar o colinho para o bebê se sentir seguro. Aqui o remédio é Amor! 🙂  Calma, paciência e tranquilidade é a regra de ouro.

Patricia Lavratti – Fotógrafa especializada em fotografia de recém-nascidos

Fontes: Pediatra Dr. Martins, pediatra Sandra Frota Ávilla Gianelo, e experiência de mamães 🙂

Artigos em Destaque

  • 1
  • 2

Artigos em destaque

  • 1

Compartilhe esta página

Facebooktwittergoogle_plusredditpinteresttumblrmail